Notícias

Esse canal é atualizado de acordo com a demanda. Nele você encontra notícias sobre a empresa e os boletins enviados para a imprensa.

Assessoria de Imprensa:
Ana Gabriela Abreu - (38) 3729.6600
comunicacao@eco135.com.br

Ações educativas marcam a Semana Nacional do Trânsito

Publicado em 28 de set de 2021 às 14:30

As atividades são realizadas todos os anos, entre os dias 18 e 25 de setembro

 

A Eco135 promoveu, ao longo da última semana, ações educativas presenciais que marcaram a Semana Nacional do Trânsito. A programação abordou temas como direito, deveres, ética e os cuidados para um trânsito mais seguro e responsável. Entre as atividades, foi apresentado o simulador de impacto com realidade virtual que tem por objetivo conscientizar e estimular os usuários sobre a importância da utilização do cinto de segurança e a respeito às leis de trânsito.

 

“As ações deste ano tiveram como objetivo principal conscientizar, educar e lembrar de fatos importantes como não ultrapassar em locais proibidos, usar o cinto de segurança, respeitar os limites de velocidade, não utilizar o celular enquanto dirige, entre outros. Devemos seguir o que o próprio tema diz: ‘Respeito e Responsabilidade. Pratique no trânsito’”, avalia o Coordenador de Tráfego da Eco135, Douglas Verza Alves,

 

O ponto de partida das atividades aconteceu em Bocaiúva (21/09), com o Pit Stop Caminhoneiro. Cerca de 40 caminhoneiros foram abordados onde receberam instruções educativas e avaliação da equipe de saúde. Além disso, também estava disponíveis brindes, cortes de cabelo e cristalização de para brisa para os caminhões. No simulado de acidente (22/09), em Montes Claros, houve a simulação de atendimento a um tombamento de veículo com múltiplas vítimas. O principal objetivo é treinar a equipe da Eco135, junto a equipe da 11ª Cia da PMRV, promovendo mais agilidade e qualidade no atendimento. Já no Pit Stop Motociclistas (23/09), em Curvelo, 153 motociclistas foram orientados sobre a importância da sinalização e do uso da antena de proteção para evitar acidentes com linhas de pipas que contém cerol. Foram instaladas antenas corta-pipas e substituída as lâmpadas de sinalização que estavam queimadas. Em Belo Horizonte (24/09) e Curvelo (25/09), a programação contou com a apresentação do simulador de impacto com o objetivo de conscientizar e estimular os usuários quanto a importância do uso do cinto de segurança em todos os passageiros de um veículo, inclusive nos ocupantes do banco traseiro.

 

As ações contaram com o apoio do 11º e 14º Batalhão da Polícia Militar Rodoviária (PMrV), Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG), Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) e Prefeitura de Curvelo.

 

Simulador de Impacto

Nas ações com o uso do simulador de impacto com realidade virtual, os participantes foram alertados sobre a importância do uso do cinto de segurança. Na sexta-feira (24/09), cerca de 70 pessoas utilizaram o equipamento na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, e no sábado, 67 pessoas que passaram pela Praça Benedito Valadares, em Curvelo, experimentaram a sensação de uma colisão frontal a 5km/h.

 

De acordo com o coordenador de Tráfego da Eco135, “o simulador de impacto traz a sensação para o usuário de estar dentro de um veículo no momento de uma colisão com o uso do óculos de realidade virtual. Quem utiliza este equipamento e ainda tem uma resistência quanto a utilização do cinto de segurança muda de ideia na hora. É uma conscientização imediata”, conta Douglas Alves.

 

O prefeito de Curvelo, Luiz Paulo Guimarães, também fez um alerta. “Deu para perceber como a imprudência e a pressa podem levar a grandes acidentes. O mais importante é a pessoa ter consciência e saber respeitar o próximo”.

 

Muitos usuários ficaram impressionados com a realidade do simulador. “Apesar de saber que é virtual a sensação é muito real. Tinha um motorista bonito, jovem, porém distraído, sem cinto de segurança, em alta velocidade e, de repente, a pessoa já não está mais ali do seu lado. Você vê uma vida se perder!”, contou Fernanda Carvalho Rocha, professora massagista

 

Já Betty Giovannoni Oliveira, superintendente de Ensino de Carangola, acredita que as campanhas precisam ser bem reais para que as pessoas entendam que sem o uso do cinto de segurança poderemos perder muitas vidas. “A princípio eu fiquei com muito medo porque a sensação do impacto é muito real. Quando olhei para o lado e vi que o motorista não estava eu fiquei com vontade de chorar. As campanhas precisam mexer com o emocional das pessoas para que elas possam mudar a forma de dirigir”.

 

O equipamento foi desenvolvido pela concessionária com a verba de segurança disponibilizada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais (Seinfra).